segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Capítulo 28: Sim, Antonietta?


Mais tarde, Michael me levou á biblioteca, como prometido.
Fui no banco do passageiro, com a janela aberta contemplando a linda cidade de Roma.
O dia estava lindo! Quer dizer, nuvens cobriam o céu, mas o Sol brilhava e irradiava calor por todo lugar. Havia muitas árvores, os italianos, pelo jeito, tem o costume de plantar árvoes em suas calçadas, de pequeno ou grande porte, mas elas estão lá.
Tudo naquela cidade parecia tão lindo! Tão atraente á esses meus olhos, que por 18 anos, só viram uma urbanizada Nova York, pelo menos onde eu morava era assim.
Uma leve brisa soprava, balançando a copa das árvores, e o Sol, brincava com as sombras e refletia nas poças d'água que se achmulavam nas calçadas.
Os pássaros, brincavam sem medo de desafiar a gravidade, pareciam tão seguros em seu vôo que poderiam até fechar os olhos!
Passamos em frente ao Coliseu, eu nunca me imaginei naquele local tão maravilhoso! Michael dava sorrisos de deboche, provavelmente eu estava com cara de boba, e não era pra menos.
Ele esteionou junto ao meio-fio, antes que eu pudesse descer, ele correu e educadamente abriu a porta para mim:
"Obrigada." - agradeci.
Caminhamos até a calçada, eu usava um simples vestido preto de mangas e Michael estava de calça jeans e uma camiseta pólo.
Não pude deixar de notar em como ele ficava lindo de camiseta vermelha, seus cabelos castanhos brilhavam com o Sol.
"É aqui." - Michael apontou para uma porta de madeira de um médio sobrado, interrompendo meus devaneios. 
Abri a porta. A biblioteca municipal era linda. Toda de madeira em mógno, a porta dava acesso á uma sala ampla, onde ficavam alguns sofás de couro preto e poltronas desse mesmo jeito. Ao fundo da sala, havia uma escrivaninha com um computador e uma pilha de livros em cima, atrás dela, estava sentada uma senhora já de idade, dom um coque dos fios brancos no alto da cabeça e um óculos prateado á escorregar pelo nariz. Devia ser a bibliotecária, Michael e eu fomos até ela e fizemos nossas carteirinhas de graça, ele se despediu:
"Estou indo, assim que precisar, me ligue que eu venho te buscar esta bem?"
Concordei com a cabeça. Ele me deu um beijo no rosto e saiu.
A biblioteca tinha dois andares, nessa sala ampla, havia um curta rampa até um local um pouco mais alto, provavelmente para destaque, onde ficavam inúmeras prateleiras repletas de livros todos organizados por categoria. Nessa parte mais alta, havia duas escadas, uma de cada lado, subi até o segundo andar, onde encontrei mais prateleiras de livros, sem surpresa nenhuma, e algumas mesas com cadeiras e mais poltronas para que as pessoas pudessem se sentir á vontade e ler ali mesmo.
Esperei uns dez minutos e ela não aparecia, a Antonietta quer dizer, então fui procurar alguns livros de poesia, meus preferidos.
Depois de uns minutos alguém cutucou meu ombro levemente:
"Com licença? Emanuelle Wilcock Santana?"
Virei-me, confesso um pouco surpresa:
"Sim, Antonietta?"
Ela sorriu, sinceramente.

4 comentários:

Tamy Shiside disse...

Roma deve ser muito linda mesmo ^^
muit lind seu text C:
bj ;D

Alinne disse...

lindo e romantico, mais quem é a outra???? ah melDeus, vou ter q ler amanha o outro capitulo, aceito sim a parceria, ah flor hoje não vai dar tempo d colocar seu link, amanha coloco la ta..
beeijo lindona

Camila Olf disse...

Fazia um tempinho que não vinha por aqui...fiquei um bom tempo lendo os posts que perdi! como sempre, amei amei s2

Amanda Z. disse...

Oi flor, eu adoro seus textos
são incriveis ^^ adorei.

obrigada pela visita.
beijos.
http://diariodelooks.blogspot.com/