segunda-feira, 28 de junho de 2010

De Novo! Capítulo 9

Chegamos na casa dele, minha tontura já havia passado, ele saiu do táxi assim que pagou o homem, e correu para abrir a porta para mim sair. Fui rápida, e abri primeiro que ele:
"Não precisa, obrigada."
Ele entrou e eu entrei logo em seguida.
Vovó ao vernos entrando um ignorando o outro perguntou:
"Já voltaram? Por que?"
"Emanuelle teve tontura..."
E eu completei:
"E uma crize de emoções sem controle!"
"Sem controle é?" - ela parou e ficou me olhando - "Emanuelle, precisamos conversar!"
"Vou deixá-las a sós."
Michael, saiu pela porta da sala, sem dizer aonde iria...eu e vovó o acompanhamos com os olhos e assim que ele fechou a porta ela virou-se a mim:
"Emanuelle! Isto é estupendo! Sinal que logo seus dons se manifestarão!"
"E quais são eles?"
"Quantas vezes precisaremos te dizer que as coisas só devem ser descobertas na hora certa?!"
"Ok, mas...demorará muito? Porque eu não quero ficar tendo tonturas horríveis, nem emoções sem controle que acabam causando coisas ruins!"
"Não sei querida, não sei...mas, mudando um pouco de assunto...O que foi aquilo? Ele tentou beijá-la?"
"Sim vovó, mas não beijou esta bem? Ele se afastou, e foi bom que ele se afastou..."
"Emanuelle, vejo no fundo dos teus olhos que você gostaria que ele á beijasse naquele momento..."
"Não! Está enganada! Conheci Michael hoje! Não pode ser assim! Não vai ser assim..."
"Certo, a escolha é sua, a vida é sua..."
Ela começou a me olhar seriamente, depois uma expressão amarga de surpresa tomou conta de seu rosto, ela se afastou e me aconselhou:
"Emanuelle, sou sua Avó, não sou dona de sua vida, mas quero o melhor para você...vejo você correndo sem rumo e chorando, e parece que o motivo de seu choro é o Michael...não sei o porque, mas seja qual for sua decisão, cuidado, muito cuidado."
Sua expressão ficou séria novamente, parecia pensativa, estava concentrada em algo muito complexo, pois até para pequenas piscadelas ela estava sendo cuidadosa.
Refleti um pouco sobre o que ela havia dito...pelo que entendi, Michael seria uma grande parte de minha vida, a ponto de eu chorar por ele, mas que parte? Em que parte de minha vida ele seria tão importante a ponto de me fazer chorar e correr sem rumo?
E voltei á estaca zero, as dúvidas estão me perseguindo de novo! 

Um comentário:

Giselly Machado disse...

Bonito e interessante *-*