segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Capítulo 55: Errado?

Tomei um banho para tentar organizar meus pensamentos. Eles eram tão bagunçados, imploravam para receber atenção e corriam de um lado para o outro em minha mente.
Senti vontade de chorar, e chorei. Muito.
Olhei-me no espelho a procura de alguma emoção definida, mas todas estavam tão embaralhadas que eu mal conseguia distingui-las.
Fechei os olhos e por alguns segundos procurei motivos para dizer a Michael o quanto eu precisava dele. Eu tinha milhões de motivos, mas não sabia ao certo se algum faria com que Michael acreditasse em mim.
Olhei para o relógio. Já haviam se passado mais de uma hora desde que Michael foi ao hospital.
Sentia culpa. Culpa, uma das palavras mais doloridas da vida.
Desci as escadas vagarosamente, Elizabeth estava sentada sozinha na cozinha, sem fazer nada.
Escutei um carro entrando na garagem. Meu coração deu um salto e acelerou-se.
"Sã-são eles?" - perguntei correndo para a sala.
Abri a porta, a primeira a entrar foi Vovó, parecia exausta e subiu as escadas. Meu pai passou por mim e beijou minha testa, disse a ele que Mamãe estava no andar de cima, ele também subiu.
Então Michael surgiu na porta, meus olhos percorreram seu braço a procura da ferida, havia uma faixa branca no local.
Ele se sentou no sofá.
"Como está a ferida? Foi grave?" - perguntei com um silvo de voz.
"Não, está tudo bem, o tiro pegou de raspão, só precisei de uns pontos e um curativo. Mais 15 dias e estou bem."
Sentei-me ao lado dele:
"Que bom, fico muito aliviada..." - respirei fundo - "Michael...minha mãe disse que você poderia, se quisesse, hã...me explicar o que aconteceu, quer dizer, como foi que..."
Michael me interrompeu com um sorriso.
"Tudo bem, imagino como você deve estar confusa agora. Bom, vamos lá...Quando você foi até a minha casa, naquela noite em que foi sequestrada, eu havia saido, precisava abastecer o carro, mas enfim, quando eu cheguei em casa, havia uma mensagem em minha secretária eletrônica, uma mensagem de sua Avó, dizendo que assim que eu escutasse a mensagem era pra vir para cá o mais rápido possível. E foi isso que eu fiz. Quando cheguei aqui sua avó me disse que você havia sumido, deixou um aviso que iria falar comigo, então eu disse que eu havia saído e que você não foi em casa depois. Ligamos para o seu celular e não conseguíamos contato, ficamos muito preocupados, já suspeitávamos que Jhon poderia ter te sequestrado. Eu e sua avó tentamos te ligar a noite toda, e esperamos uma ligação sua também." - ele fez uma pausa e se ajeitou no sofá - "De manhã, o telefone tocou, eu atendi. Era Jhon, ele disse que havia te sequestrado, disse que viria no dia seguinte...matá-la...aqui, na nossa presença, e depois disso prometeu nunca mais nos perturbar. Ele disse também que havia sequestrado seus pais, que ficariam livres, depois de presenciarem sua...bom, o fato."
Ele parou e estralou os dedos, ficou alguns instantes observando as próprias mãos. Eu nada disse, esperei que ele continuasse:
"Sabe...eu, na hora fiquei completamente sem reação, fiquei tão desorientado, eu não sabia o que fazer...se não fosse por sua Avó que manteve-se firme e forte o tempo todo eu não sei se teríamos conseguido." - mais uma pausa longa pausa - "Sua avó me disse que nós não poderíamos desistir, iríamos salvá-la de um jeito ou de outro então pensamos: se Jhon viria aqui, com certeza viria preparado, pois com certeza ele sabia que eu e sua Avó tentaríamos impedi-lo. Então mentimos, sua Avó ligou para Jhon, chorando dizendo que eu havia...me matado...por sua causa, disse também que o porque de minha atitude foi que eu acreditava que não havia mais esperanças de salvarmos você. Felizmente, Jhon acreditou...Por favor, desculpe por mentir, nós precisávamos."
Coloquei minha mão por sobre seu ombro, eu estava entendendo e minha mente começando a clarear os fatos.
"Tudo bem Michael..."
Ele sorriu e continuou:
"Naquela tarde, tivemos uma enorme surpresa, estávamos mais confiantes por Jhon ter acreditado em nossa mentira, pois se eu estivesse morto, Jhon não teria problemas. Mas Antonietta veio até aqui, nos    assustamos ao vê-la, mas ela estava desesperada, dizendo que Jhon a a havia enganado, que ele havia dito a ela que se ela ajudasse ele a te matar, ele encontraria a família dela, mas Jhon havia mentido. Antonietta encontrou em uma gaveta da casa dele, uma série de recortes de jornais, com fotos, nomes e dados, de quem? Da família de Antonietta, eles havia morrido em um acidente quando ela era bebe, só ela sobreviveu e por isso foi para o orfanato."
Levei um tremendo choque ao escutar essas palavras, eu não podia acreditar no que ouvia. Também não podia culpar Antonietta por mais nada.
"Eu não fazia idéia..." - disse.
"Pois é, eu também não. Então Antonietta resolveu passar para o nosso lado, ela continuaria com Jhon, fingindo estar ajudando-o, mas quando chegasse aqui, ela nos ajudaria, seria um efeito surpresa e tanto para Jhon. E foi."
"E por que Vovó não preveu tudo isso? Ela poderia ter nos avisado." - indaguei.
"Pois é mas ela não preveu nada, parece que perdeu todos os dons dela, não consegue prever mais nada e nem voltar ao passado e mudar decisões. Não sabemos porque..."
"Isso é muito sério." - refleti - "Só tem mais uma coisa que eu preciso saber, como foi que você conseguiu fazer com que Jhon não atirasse em mim?"
Michael engoliu em seco, pareceu hesitar e ficou em silêncio.
Eu esperei. Podia ouvir sua respiração agora acelerada, o que será que eu havia dito de errado?







7 comentários:

Patrícia Quel disse...

Oi Quel
Seu talento, é algo muito lindo!!!
Bjs!!

Is3a - Garota Desigual disse...

Aaain! Que loucura, to doida pra saber, acho mto interessante como vc mantem a tensao, a trama esta mto bem feita
Continue assim Quel, qd se tornar autora famosa serei sua f~a #1 haha ;)
Beijoos!

Thaiane Bambinetti disse...

Olá, tá rolando sorteio de Esmaltes Eliana participe! http://kingo.to/ujp
beijos

Cristian Ross disse...

Muito lindo Quel seu talento é insuperavel.
bjo

Tainã Almeida disse...

Os adultos vivem dizendo que a adolesc|ência é um dos periodos mais marcantes da vida. Mais o que o adolescente pensa disso?:

Visita meu blog?


http://blogdeumagarotaadolescente.blogspot.com/

Se gostar do meu blog, segue lá, ficarei muiito feliz.
Beijos e desde já obrigada Tainã Almeida

Stéfane Mendes disse...

Oi Quel gostei do seu blog esta bastante legal .
Gostaria de trocar msn ?
Bjs ! *-*

GRACA SILVA disse...

MUITO BOM !! Adorei o seu blog ! Visite o meu blog ... já estou te seguindo. Bjos.

http://gracasilva.blogspot.com/