quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Capítulo 53: Conseguimos

Michael se aproximou e entrou em nosso campo de visão, segurava uma arma, e por isso, ao mesmo tempo que meu rosto se iluminou de alívio e felicidade ao ver que ele estava vivo, se contorceu em angustia e medo de que algo pudesse vier a acontecer com ele.
"Michael." - sussurrei.
Ele por alguns instantes olhou para mim mas nada disse, dirigiu-se a Jhon que parecia terrivelmente indignado.
"O que você faz aqui?! Evangeline disse-me que estava morto!" - Jhon exclamou virando-se para Michael e para Antonietta - "Você mesmo confirmou isso Antonietta! O que está acontecendo aqui?"
Michael abriu um meio sorriso:
"Você acredita muito fácil nas coisas não ´Jhon?"
Jhon grunhiu acima de mim e apertou a arma em meu pescoço, eu arfei esperando o pior, sempre.
"Além de fácil de ser enganado, é covarde." - Michael continuou.
A arma em meu pescoço parou de apertar-me, Jhon apontou-a para Michael:
"Covarde? Eu?" - suas palavras eram duras e ameaçadoras.
"Claro que sim. Por que você não encara eu por exemplo? Prefere Emanuelle que está ai, fraca, você é mais forte que ela, ela não está armada e está completamente indefesa. Agora, você não tem coragem de me ameaçar Jhon. Isso é um fato."
"Cale a boca Michael! Você acha mesmo que apenas você conseguirá me impedir? Ninguém vai me impedir. Eu vou matá-la como disse. Você Michael, é completamente insignificante."
"Mas ele não está sozinho Jhon." - a voz de Antonietta circulou entre nós quando ela entrou em nosso campo de visão com a arma apontada agora para Jhon.
Prendi o fôlego pois não esperava tudo isso. Eu podia enchergar as lágrimas brilhantes prontas para se derramarem no rosto de Antonietta mas ela se mantinha firme e decidida.
"O que? Até você?" - indagou Jhon.
"Se dirigir a palavra para mim de novo Jhon, eu juro, eu juro que atiro. Eu estou falando muito sério." - ela fez uma pausa enquanto esperava suas palavras assentarem no espaço em nossa volta - "Você me enganou esse tempo todo! E ainda quer que eu te ajude? Ah! Francamente Jhon! Eu sei de tudo! Sei que nunca você me ajudará a reencontrar minha família. E li isso. Não adianta fazer essa cara de quem não está entendendo, você sabe muito bem do que eu estou falando. Sabe? Aquele jornal na sua gaveta, incrivelmente escondido? Pois é, eu o li. Agora solte Emanuelle, agora. São dois contra você."
"Você vai confirmar que é covarde Jhon?" - Michael provocou.
"Silêncio todos vocês!" - Jhon me empurrou para a grama e passou a minha frente, mirou em Michael.
"Vamos lá...vou soltar a arma." - Michael então jogou a arma no chão e chutou-a para trás. Ergueu as mãos em sinal de rendição. - "Se é isso que queria que eu fizesse, pronto, agora pode atirar em mim."
Não! Pensei com todas as minhas forças. Me levantei e olhei para Michael. Seu olhar encontrou o meu e ficamos apenas ali, parados um olhando para o outro enquanto Jhon mirava em Michael. Balancei a cabeça negativamente em sinal para que Michael parasse com aquele jogo perigoso. Michael piscou tranquilamente e suspirou como se sentisse alívio.
Então Jhon disparou. Michael apertou seu braço um pouco abaixo do ombro e suas mãos se mancharam de vermelho. Meu coração falhou dentro de mim e parou de bater, Michael caiu de joelhos e soltou um gemido de dor, olhou para mim e ainda sorriu, meu coração voltou a bater e olhei para Jhon, ele saiu andando de volta para seu carro e não disse uma só palavra. Girei meu corpo e vi que Antonietta se afastava correndo e sussurrou desculpas.
Corri até Michael e abaixei-me ao lado dele. Ele olhou para mim e disse:
"Conseguimos."

Um comentário:

Cristian Ross disse...

Muitooo bommmmmm QUEL!
novo post lá bjoo