terça-feira, 3 de agosto de 2010

Capítulo 20; Sexto sentido...

Desde que meu dom se manifestou, notei que meus sentidos ficaram mais apurados, o oufato, o tato, o paladar, a audição, a visão...ficaram todos melhores.
Sempre desconfiei de que as mulheres tinham um sexto sentido, sabe, quando elas dizem:
"Nossa! Que sensação estranha, acho que algo ruim vai acontecer..."
Bom, os pressentimentos, na verdade, no meu caso, eu tenho esses pressentimentos, na verdade são visões. Ás vezes, elas vêem bem claras, fácil de entender, mas ás vezes devem ser interpretadas antes, e é isso que me preocupa. Conversei com Elizabeth hoje e ela disse que essas visões, podem vir como sonhos, isso me deixou muito mais preocupada, pois eu ainda não aprendi a diferenciar sonhos normais de visões.
E eu estava com um pressentimento estranho, era madrugada, três da manhã e eu acordada na cama esperando que o sono chegasse logo, naquele momento, eu sabia que algo "diferente" estava acontecendo, não fazia a mínima idéia do que poderia saber, mas tinha certeza de que alguma coisa acontecia naquele momento.
Escutei alguns barulhos no quintal da lateral da casa, olhei pela janela, não vi nada então resolvi sair pra olhar melhor.
Com muito cuidado desci as escadas ainda no escuro, não queria que ninguém acordasse.
Saí lá fora, ainda estava bem escuro, em esquivei silenciosamente para a lateral da casa, observei o quintal e vi uma pessoa abaixada atrás das roseiras de minha avó. Tentei chegar mais perto para poder enchergar melhor, descalça, pisei em um espinho na grama e por impulso involuntário reclamei baixinho:
"Droga!"
Mas foi o bastante para que a pessoa saísse correndo de trás das roseiras em direção ao fundo da casa, eu o segui, mas não consegui alcançá-lo, ele pulou o muro que dividia o terrenho com o vizinho de trás.
Voltei para dentro tomando o máximo de cuidado para que ninguém me escutasse.
Entrei no meu quarto e arrumei meu cabelo que havia se soltado, senti mãos firmes segurarem meus ombros e uma voz que eu conhecia muito bem perguntou:
"Onde você estava?"
"Nossa Michael! Não faça mais isso por faovr!"
"Me desculpe."
Tentei fugir de sua pergunta e fui em direção á cama para me deitar e voltar a dormir, mas ele me segurou:
"Ei ei! Onde você estava?"
Olhei para ele, estava sério, esperando que eu respondesse, e eu só tinha duas opções, contar a verdade, ou contar a verdade...

7 comentários:

Alinne disse...

owt qê história heim!
Muuito legal :)
ah flor linda a sua frase, vou postar ele qualquer dia desses adorei, me cobra caso eu não colocar :)
Beeijo ^^

Tamires Shiokawa disse...

##e...suspense...
^^
bj

Daiani Gomes disse...

seguindo vcc.
http://daianig.blogspot.com/

Amanda Z. disse...

adorei, meninë blog é lusho (:

ja virei seguidora, me segue tambem flor?

beijos.
http://diariodelooks.blogspot.com/

Lisandra Lavigne Ѽ disse...

Mais cadê o FIM \O/
Eu quero ler o fim, não tem o fim ??? \o/
Escreveeeeeeeeee, já to agoniada quando não tem fim
Rsrsrsrrs
Amei a historia é real? Foi bem corajosa, eu não sairia, ficaria debaixo das cobertas
Kkkkkkkkkkkk

Amei to seguindo

cheiro

Kacarecus disse...

Adorei, bem suspense!

gostaria de te convidar a passar la no noss blog... conferir o que temos de melhor sobre moda, make, beleza...
Se gostar do blog segue agente!
seria otimo ter vc la!

bjbj, liih

Anônimo disse...

oie flor ja ti sigo queria saber si vc naum quer fazer parceria com meu blog http://oblog003.blogspot.com/
se aceitar avisa ok bjinhu..